Nada sober vós sem vós

Log in
updated 12:17 PM WET, Nov 22, 2017
Informação:
ACOMPANHE: Todas as novidades sobre os projetos com 'marca' Plural&Singular. Além do concurso de fotografia internacional em que TODOS cabem - cuja cerimónia de entrega de prémios decorre dia 3 e dezembro no CPF, no Porto - avançamos com formações em Comunicação Acessível e Sexualidade&Afetos, o projeto "Nós os cuidadores - sessões de grupo para cuidadores informais!" e com candidaturas ligadas ao ERASMUS+            Consulte também a página do Núcleo de Inclusão, Comunicação e Media e adira ao nosso grupo de debate e partilha no facebook  

Prémios Acesso Cultura 2016


A Acesso Cultura, associação que se dedica à análise das acessibilidades em espaços culturais, revelou os Prémios Acesso Cultura 2016 no dia 17 de junho, numa cerimónia no Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado, em Lisboa.

O Prémio Acessibilidade Integrada (física, social, intelectual) foi entregue ao Parque Biológico da Serra da Lousã, enquanto o Prémio Acessibilidade Física foi para o Grupo Dançando com a Diferença.

Já o Prémio Acessibilidade Social foi entregue à companhia Comédias do Minho e à Sociedade Artística de Pousos, distrito de Leiria. Ambas venceram em ex-aequo.

Somam-se seis menções honrosas: D´Orfeu Associação Cultural - Projeto opÁ! – Orquestra de Percussão de Águeda, Fundação Serralves e Associação Laredo – Projeto Serralves em Língua Gestual Portuguesa, Há Festa no Campo/Aldeias Artísticas, Museu de Leiria, Orquestra de Câmara Portuguesa - Projeto Notas de Contacto/OCP Solidária, Parques de Sintra Monte de Lua - Projeto Aplicação Talking Heritage.

Os responsáveis explicam que estes prémios visam criar uma maior exigência junto dos públicos, com vista à melhoria da acessibilidade nas instituições culturais.

Sobre o Parque Biológico Serra da Lousã, o júri destaca que o projeto “apresenta práticas de excelência de integração e de acessibilidade social”.

“Trata-se de um parque temático, inovador, que associa a biofilia, o património natural e cultural da região, o turismo, a inclusão laboral de pessoas com deficiência, doença mental e desempregados de longa duração”, descreve a organização.

Sobre a Associação dos Amigos da Arte Inclusiva – Grupo Dançando com a Diferença (Madeira), o júri premiou o “trabalho pioneiro em Portugal, que teve reflexos no âmbito das instituições que têm como foco a intervenção com pessoas com deficiência e, mais tarde, no tecido artístico e cultural do país, de uma forma generalizada”.

No que diz respeito às Comédias do Minho, o júri considerou que a associação que promove esta iniciativa “leva o teatro às aldeias, num esforço de acessibilidade cultural, inédito no território, num registo de enorme proximidade”.

Já a Sociedade Artística Musical dos Pousos “consolida o reconhecimento e integração da diferença de pessoas sujeitas à exclusão devido a fatores físicos ou sociais”.

O júri era composto pela representante em Portugal da direção da European Network of Accessible Tourism (Rede Europeia de Turismo Acessível), Ana Garcia, pela museóloga Graça Santa-Bárbara, responsável pela comunicação do Museu Nacional dos Coches, associada da Acesso Cultura, e pela bailarina Marta Silva, diretora do Largo Residências.

Deixe um comentário

Bingo sites http://gbetting.co.uk/bingo with sign up bonuses

publicidade

publicidade

Publicidade

10°C

Lisboa

Rain

Humidity: 96%

Wind: 11.27 km/h

  • 22 Nov 2017 11°C 2°C
  • 23 Nov 2017 6°C 0°C

Publicidade