Nada sober vós sem vós

Log in
updated 10:58 AM UTC, May 21, 2022
Informação:
LEIA E PARTILHE: a última edição da revista digital da Plural&Singular que já vai na 26.ª edição e tem em destaque a 7.ª edição do concurso internacional de fotografia "A inclusão na diversidade"

APPC: projeto de nova sede e residência universitária procura parceiros e fundos

A Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC) tem um sonho: construir uma nova sede que simultaneamente acolherá estudantes universitários com deficiência. O projeto está orçado em 1,7 milhões de euros e deverá ser candidatado a fundos europeus.

A APPC está instalada desde 1974 num edifício na zona de Arca d’Água, no Porto, mas a associação aponta que o espaço, onde 25 pessoas frequentam um Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), está degradado.

Em entrevista a vários órgãos de comunicação social, o presidente da APPC, Abílio Cunha, admitiu que “a cada inverno sente-se o desconforto a aumentar” e revelou ter um sonho já com uma mão cheia de anos…

A ideia é construir uma nova casa na Rua do Conde de Campo Bello, Paranhos, num terreno cedido pela câmara do Porto.

O projeto aponta para três pisos e destina-se a sede mas não só pois a proximidade com uma zona de faculdades e equipamentos de ensino, bem como a lacuna de espaços para acolher estudantes com deficiência na cidade deram à APPC a ideia de ali instalar uma residência universitária.

E no mesmo espaço haverá CAO com Abílio Cunha a avançar que este poderá também servir, depois do horário normal, a população sénior de Paranhos.

Para que tudo isto seja uma realidade, a instituição deseja que o projeto seja mapeado como equipamento de interesse para a zona Norte ou nacional e candidato a fundos do Portugal 2020.

Abílio Cunha já entregou o projeto na câmara do Porto para análise e desafia os politécnicos, a autarquia, a universidade, bem como a Área Metropolitana do Porto a serem parceiros.

 

Itens relacionados

  • “Feitas de Ferro, desenhadas a carvão” da APPC estreia sábado em Paranhos

    A violência sobre as mulheres é o ponto de partida da mais recente produção do grupo “Era uma vez... Teatro”, da Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC)

    A estreia está agendada para sábado às 21h30, no Auditório Horácio Marçal (Junta de Freguesia de Paranhos). Em cena serão apresentadas as histórias de dez mulheres que decidem “romper o palco e aumentar as possibilidades de sobrevivência” – despindo aquilo que o coletivo de teatro da APPC retrata como um “silêncio indigno das mulheres maltratadas”.

  • Enfermeiro/atleta Duarte Gil atingiu a meta na APPC

    O enfermeiro/atleta Duarte Gil Barbosa, que no início de setembro anunciou que iria tentar correr 200 quilómetros e doar um euro por quilómetro à Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC), atingiu a meta e visitou recentemente a instituição.

  • Mais de 16 mil euros para o “APPC Playground”

    A Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC) conseguiu angariar 16.931,81 euros que irão a curto prazo ser aplicados na implementação do “APPC Playground”, um projeto que irá intervir nas áreas da educação digital e alimentar, bem como no apoio à empregabilidade. A verba foi angariada numa iniciativa promovida por uma grande superfície comercial.

  • APPC: Duarte Gil Barbosa doa um euro por quilómetro e desafia outros corredores

    Um atleta informal, Duarte Gil Barbosa, decidiu correr pela Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC). É enfermeiro mas corre há 14 anos e nos dias 17 e 18 de setembro vai participar no “24H Portugal 2016” em Vale de Cambra. Por cada quilómetro percorrido doará um euro. Quer fazer 200.

  • APPC distinguida pelas práticas de responsabilidade social

    A Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC) foi distinguida, a 12 de julho, com o Diploma de Reconhecimento pelas suas Práticas de Responsabilidade Social, numa cerimónia promovida pela Associação Portuguesa de Ética Empresarial (APEE).

Consola de depuração Joomla

Sessão

Dados do perfil

Utilização de memória

Pedidos à Base de dados